Por que Dear White People não se tornou um viral?

Acabei de escrever sobre Dear White People e a falta de atenção que demos para ela. Comparando com a repercussão de 13 Reasons Why, acabei percebendo que nós precisamos falar sobre isso.

Eu, menina branca de classe média, não posso falar sobre isso. Não sinto na pele o que é ser silenciada pela sociedade. Não é a minha boa vontade de escrever um texto bonito que vai mudar alguma coisa. Pessoas brancas iriam ler o que escrevi, dariam um like, mas depois teriam algo mais importante para fazer. Talvez nem assistiriam a série por terem lido aquele texto.

Publicar aquele texto seria como querer limpar a minha consciência e poder dizer que fiz a minha parte. Seria uma mentira.

Decidi, então, deixar aqui alguns links.

Mulheres negras são as maiores vítimas de violência

Estamos em maio

Preconceito racial e racismo institucional no Brasil

Países africanos e de maioria negra cobram Brasil na ONU por racismo

Ataques a estudantes africanos expõem problema racial na Índia

A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil, diz CPI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lembrem-se: racismo é crime. Denuncie.

Uma restrospectiva

ja-foi-20

Nesse ano muita coisa aconteceu. Entrei na faculdade depois de chorar muito por quase não entrar. Terminei o meu namoro. Conheci as melhores mulheres que a pucrs pode te apresentar. Fui no Russo. Troquei de curso. Cortei o cabelo o mais curto que eu jamais cortei por livre e espontânea vontade. Viajei sozinha. Conheci a música latina. Voltei pro judô. Depois disso eu larguei o judô de novo.

Sorri, chorei, ri. Atravessei a faculdade em uma corrida com minha amiga na chuva. Vi a Famecos ser ocupada e achei maravilhoso. Não peguei G2. Amém.

O curso novo na faculdade é a tal da publicidade e propaganda. Ainda não morri de fome por estar fazendo isso da vida, mas estamos quase lá. Não que isso importe muito no final das contas.

Eu também parei de ler e eu não me orgulho disso. Parei de escrever. Sinceramente, eu não sei o que que se passou na minha cabeça. As coisas vão mudar em 2017, eu prometo. Não todas, só isso mesmo.

Descobri que ficar solteira é maravilhoso. Não, eu não tô falando sobre poder beijar muitas bocas. O fato de estar sozinha consigo mesma é MARAVILHOSO. E tenho dito.

Também desconstruí conceitos formados nos outros e em mim mesma. Aprendi muito. Eu me permiti a isso.

Percebi que meu problema de visão atrapalha muito pra tirar fotos, o que se tornou um grande problema na minha vida. Também aprendi a conviver com o meu pé feio. O próximo passo é aprender a amar os olhos caídos.

Fiz uma camiseta feia pra minha amiga e ela mentiu dizendo que amou. Eu menti dizendo que acreditei.

Fui no show do Maroom 5 e da Clarice Falcão. Porto Alegre tava pobre de show esse ano. Boatos que em abril tem Adele, tô esperando.

AH, eu fiz 18 anos também. Agora quando dizem que tenho 13 eu mostro a minha identidade.

Criei o meu canal no youtube e ainda não sei o que eu sinto sobre isso. Terminei Gossip Girl, Orange e Narcos. Eu fui fraca com as séries nesse ano. Em 2017 a gente melhora.

2016 foi um bom e ruim ano. Cada um entende o que quer.

Agora chegou a hora das fotos