Medo de Amar

amor

 A gente tem medo, angústia. A gente foge e nega. Não queremos nos apaixonar, não queremos amar. Não de novo. Não queremos mais lágrimas, mais coração apertado e nada daquele vazio quando alguma coisa não da certo. Criamos uma bolha contra todo e qualquer tipo de relacionamento que pode florescer. Por medo, só isso.

 Houve uma época que eu tive medo. Já fugi e já neguei. Não aceitava o fato de que o amor poderia ser uma coisa boa. Não entendia o que os filmes viam de tão bonito naquele chororo todo que na maioria das vezes vai cada um para um lado no final. Não entendia e não queria. Tudo o que queria era distância. E foi assim que as coisas começaram.

 Me distanciei tanto a ponto de não acreditar mais que eu merecia arriscar. Todo mundo merece arriscar e pagar para ver no que vai dar. Sem medo, sem nada. Só sentir. E eu fugi disso.

  Mas tudo vale a pena. E mais cedo ou mais tarde todos vamos ter que aprender isso. Não poderemos fugir e ter medo para sempre. Nós merecemos uma chance de sermos felizes, de recebermos felicidade e de darmos ela para outra pessoa. Se não der certo, se quebrarmos a cara, se rolar muitas lágrimas, pelo menos vamos ter sentido cada sentimento bom que esteve presente. Nada mais importa quando nós compreendemos que tudo serviu para alguma coisa no final.

 Precisamos sair da bolha. Esquecer que pode não dar certo. Existe a mesma porcentagem de chances de dar certo e não dar, somos nós que escolhemos de que lado vamos jogar as fichas.

 O amor é indecifrável, não têm como defini-lo ao certo. Só quem se permite sentir todas as coisas que ele proporciona sabe. Só quem se permite permitir todas as possibilidades e aproveitar cada momento sabe.

 

 

Anúncios

Depois Que Você Apareceu

 casal

 Até você chegar, eu sofria por paixõezinhas que acreditava que eram amores, escrevia letras de músicas por todos os lados e acreditava que, talvez, eu tivesse que viver sempre quebrando a cara. Eu não me permitia ter um alguém para ser o motivo dos meus sorrisos, não me entregava mais, não botava mais fé nenhuma. Então você apareceu. Apareceu dando um sorriso tímido e mexendo no cabelo. Me empurraram para dançar com você e tudo começou. 

 Depois que você apareceu eu mudei completamente. Foi como se a minha mente tivesse amadurecido tudo o que, no último ano, não tinha amadurecido só naqueles meses juntos. Descobri que posso sim ser feliz e ter alguém do meu lado para compartilhar cada segundo dessa felicidade. Descobri que esse alguém do meu lado também vai querer me ver feliz a cada segundo e vai fazer de tudo para isso. Descobri que era você, e só você, que iria me fazer sentir bem como ninguém nunca tinha feito. Mais serena e sorridente. Com mais fé nas pessoas.

 Depois que você apareceu, deixei de ter medo. Parei de me esconder e negar para mim mesma cada sentimento que iria dar as caras em algum instante. Aprendi a me entregar e ver quais as façanhas que a vida têm preparado para mim. Comecei a esperar por um sentimento puro sem ter pressa e me afobar. Sem sofrer caso algo não desse certo e não perder as esperanças nunca mais.

 Você mudou, completamente e absolutamente, tudo por aqui. Mudou as músicas que eu ouço, o meu coração e até mesmo o meu cheiro. Talvez eu tivesse mudado todas essas coisas caso você não tivesse aparecido, mas não seriam como são hoje. Talvez eu não tivesse os mesmos sonhos de agora. Talvez eu se quer tivesse descoberto a paz que encontro escrevendo. É, tudo seria diferente se você não tivesse aparecido. Obrigada por ter aparecido daquele jeitinho. A vida hoje não seria tão boa se não tivesse sido você naquele quinze de junho de dois mil e treze.

Não acabou, não

 casal

 Muitas pessoas, todos os dias, choram, quebram garrafas, borram a maquiagem por um amor que, simplesmente, “não deu certo”. Na realidade, eu acredito que não existe essa história de amor que não deu certo. O amor sempre dá certo, por mais que muitos digam “eu te amo” da boca para fora, ainda existem os apaixonados que amam de verdade e com vontade. Não é porque o namoro (ou casamento) acabou que não deu certo. Você passa dias e dias com aquela pessoa, conversam sobre assuntos que adoram, ouvem as mesmas músicas, ajudam um ao outro. Mas acabou. O amor sempre existirá, mas chega um momento em que já não é com a mesma intensidade. 

 Se houve amor de verdade, não haverá rancor, nem uma possível amizade é fora de cogitação. Se foi amor, sempre será. Isso me disseram quando eu estava na oitava série e ficou na minha cabeça. Não importa o tempo que passe, sempre vamos ter o sentimento de carinho, de querer ver o outro bem na vida dentro da gente. E isso que é o mais bonito do amor.

 Quando a gente ama, tudo o que fazemos e pensamos é no sorriso daquela pessoa. Quando o amor bate na porta, nós ficamos imensamente felizes por ele estar sendo retribuído na mesma intensidade. Mas e quando ele pede para sair? Pela porta, pela janela. Ou pelo ralo. As pessoas tem essa ideia de que quando ele pede pra sair foram iludidas, feitas de bobas. A verdade, e a mais simples de todas elas, é que não é bem assim que funciona.

 Muitos dizem por ai que amar dói. Mas amar também nos da uma salada mista de sentimentos bons. Tão bons, que quando já não estão mais na mesma intensidade nós ficamos em alguma espécie de ressaca sentimental. Pensamos que nunca mais vamos sorrir, que a pessoa nos usou e todas essas coisas que vocês sabem bem do que eu tô falando. Eu já pensei assim, mas com o tempo aprendi que não. Não fomos usados, nós ainda vamos sorrir, e muito! O amor não faz isso com as pessoas, nós mesmos fazemos. Acreditamos que a felicidade só será alcançada com alguém do lado. N-Ã-O! A felicidade mora ai dentro de cada um de vocês, basta procurá-la.

 Quando um relacionamento não vai bem, a culpa não é do amor. Nós estamos mudando constantemente, nossos ideais, nossos sonhos. Todos esses fatores que transformam esse sentimento. Isso: ele é transformado, não acaba. Sei que já disse que não tem como falar o que é o amor, mas é fácil de dizer o que sentimos com ele: carinho, respeito, desejo da felicidade do outro, admiração e etc. Só porque o relacionamento acabou, não significa que não existiu amor ou que ele acabou. O sentimento de carinho, respeito, admiração e o desejo pela felicidade do outro ainda ta aí. Quando o amor existe, é pra sempre.

 O seu ex namorado pode estar beijando outras bocas agora. Ou a sua ex noiva pode estar indo em várias festas com as amigas. Não é por esses motivos que você pode dizer que ele(a) não te amou. Amou sim, mas uma hora nós estamos preparados para outras aventuras. Afinal, a vida é tão curta e confusa, muita coisa pode acontecer a cada momento.

 Não insulte o amor falando que ele acabou. Tanta gente por ai que diz que esse é o único sentimento que pode mudar o mundo, não é porque com você já não é mais como antes, que ele acabou. Ele só foi procurar outros corações para ver as suas reações com esse sentimento tão lindo por perto. Todos temos o direito de amar, todos vamos amar algo ou alguém de diferentes formas e intensidades, e ainda assim vai continuar sendo amor.

 Posso dar um exemplo sobre tudo isso. Sabe aquele filme que você amava quando era criança? Você ainda ama. Experimenta: coloca ele no dvd/notebook e assiste. Não vai ser a mesma coisa, mas você ainda sente um carinho imenso por ele. Por todas as suas lembranças com seus pais assistindo juntos e comendo um bolo de chocolate. O amor por esse filme “não deu certo”, por isso você não assiste mais? Você mudou, apenas. Porque o seu parceiro não pode mudar também?

 Todos os dias vejo posts no Facebook e no Tumblr sobre amor. Amor que veio e que já foi. Amor que existe e que nunca se concretizou. Amor, simplesmente. Essa é a parte mais divertida: amar. Ter toda essa mistura de sensações e sentimentos de uma vez só são incríveis. O amor muda as pessoas, elas ficam alegres com outra pessoa ao lado mesmo sem estarem fazendo nada. As pessoas também mudam o amor, ele fica com outras formas, leva para outros caminhos.

 Enquanto o namoro/casamento estava acontecendo, o amor foi o que deixou os dois unidos por tanto tempo. Mas acabou, o relacionamento. Se foi amor, ele não acabou. Todos os sentimentos bonitos pelo outro estão ali, mas não mais pelos mesmos princípios. Isso é bonito, afinal. Não precisar ter “compromisso” com uma pessoa para dizer que quer vê-la bem. Esse é o real sentido do amor, querer ver o outro feliz, não importa a situação.

 Ame e esteja preparado para novas aventuras, porque é isso o que a vida nos proporciona, não é? Ame sem medo. Ame quem quiser. Ame por querer ou sem querer. Transmitir boas energias é o que está valendo nessa jornada por esse mundo. O relacionamento pode acabar, mas o amor sempre vai estar ali para lembrar do quanto foi bom o tempo que estiveram um com o outro. Onde já existiu uma história de amor, o rancor não entra.

Sobre o Amor

P1020690

Gikovate já disse que o relacionamento é mais saudável quando é formado por duas unidades, e não duas metades. Um relacionamento deve ser formado por trocas justas, uma vez em que estas trocas significam a neutralidade entre os mais generosos. Ambos devem se doar na mesma intensidade.

 É praticamente impossível dizer o que é a forma correta ou errada de um relacionamento. Muitos acham que só funciona se for entre semelhantes; Outros acham que apenas entre opostos.

 É muito relativo, pois cada um de nós diz e pensa algo diferente sobre o amor. Porque caberia a nós dizer qual a forma válida dele? O amor simplesmente acontece, não importa se é entre diferentes ou iguais, se for amor, vai ser.

 Porém, acho que quem acredita que deve ser somente entre semelhantes, muitas vezes está pensando apenas em sí. Conhecer algo novo é o que nos faz ficarmos vivos. Porque então procurar alguém semelhante a nós, para não nos somar pensamentos e conhecimentos desde o nosso parto? Porque é isso o que fazemos, nós estamos procurando a nossa outra metade que perdemos no nascimento, que nos traga de volta a sensação de conforto e paz, que sentimos apenas no útero das nossas mães. Mas faz parte do ser humano repudiar as diferenças. Não querer se relacionar com alguém de outra cultura, com roupas e músicas diferentes.

 Acredito mais no pensamento de quem diz serem os opostos a resposta (se é que realmente precisamos de uma). Estando ao lado de alguém diferente da nossa zona de conforto nos faz crescer ainda mais. Nós não viemos ao mundo para morrermos na tal da zona de conforto né?

 Vejo muito disso no meu namoro. Nós sempre fomos meio diferentes. Ele ouvia música brasileira; Eu, pop. Ele não tomava refrigerante; Eu, viciada em Coca- Cola. Ele só via filme de super-heróis; Eu, comédia romântica. Ele lia  no máximo os textos que eu enviava me declarando; Eu, com o sonho de ter uma biblioteca em casa.

 Porém as nossas diferenças nos fizeram evoluir. Hoje, eu e ele cantamos juntos todas as músicas. Hoje, nós tomamos só água com gás quando comemos pizza. Hoje, ele chora vendo A Culpa É Das Estrelas e eu choro vendo Velozes e Furiosos 7. Hoje, ele me da livros de presente e está com uma listinha dos que ainda quer ler.

 Nós dois somos unidades, numa soma básica em que 1+1=2, nós formamos um só, porque juntos nós nos completamos. Cada um com a sua individualidade, mas que ajuda o outro a evoluir como ser humano. Talvez, o amor seja isso: a evolução ocasionada por outra pessoa. Amar é evoluir.