UM ANO de novo

DSC_3013.png

Há um ano atrás tudo mudou de novo. O que eu vivi no ensino médio já estava só na memória, assim como algumas pessoas que passaram a ser apenas partes bonitas das fotografias da minha adolescência. Posso dizer que arrisquei bastante, de certa forma, naquele tempo. Troquei de escola, fiz novas amizades, iniciei meu namoro. Mas já estava na hora de um novo plot twist na minha vida.

Comecei a faculdade, terminei meu namoro e sobrevivi a um semestre tendo aulas de lógica na Filosofia. Até que não foi tão ruim assim, afinal. Aprendi sobre premissas e quais argumentos eram realmente válidos para determinadas conclusões. Ainda acredito que as que usamos foram válidas. E na nossa conclusão? Foi boa também.

Pensei que não aguentaria, que voltaria atrás de tudo o que disse e sentia. Pensei que nunca fosse encontrar outra pessoa. E eu também pensei que fosse me preocupar caso não encontrasse. No final das contas encontrei a melhor pessoa que poderia procurar: eu mesma.

Fui atrás dos meus sonhos, me concentrei no que eu realmente quero. Repensei minhas atitudes de dois anos atrás. Me perguntei porque disse “sim” e descobri que eu ainda vivia com meu complexo de príncipe encantado. Olhei fotos antigas e senti falta de quem me afastei por insegurança. Desfiz meus conceitos de muitas coisas que antes pensei serem completamente verdadeiras.

Amadureci, no final das contas. Era exatamente o que eu queria e precisava.

No sábado passado comemorei meu aniversário de um ano de solteira. Não que eu estivesse contando os dias. Nem que eu ainda sinta falta. E não, não que o namoro tenha sido ruim assim. Só é bom poder comemorar este tempo em que eu me encontrei e comecei a fazer mais por mim, além de tudo o que já fiz por outra pessoa.

 

Onze anos depois


Quando duas garotas de sete anos resolvem que passarão o intervalo juntas e dividirão o lanche, nada mais separa. Nós não nos separamos, pelo menos. Não como imaginam.

Com sete anos descobri a minha parceira principal pro resto da vida. Nós construímos um clubinho em um canto atrás da cantina, transformamos aquela escola em uma grande fantasia cor de rosa. Imaginamos nossos netos juntos e choramos de rir quando nos demos conta de que quando essa hora chegasse estaríamos usando grandes calçolas.

As primeiras paixões, ilusões, planos para ir no cinema com o menino que gostávamos. Os primeiros beijos e namoros. A primeira viagem juntas e os tantos vídeos dos melhores momentos.

Quando mudei de escola pensamos que seria o fim. Porém a vida nos mostrou que não. Com tantas coisas acontecendo na vida uma da outra, sempre demos um jeito de nos mantermos informadas e dando conselhos quando necessário.

O amor é o mesmo. A disposição de conversar sobre qualquer que seja o assunto. As risadas como se nada tivesse mudado. Como se ontem estivéssemos planejando nossas festas de 15 anos juntas que nunca aconteceu.

A saudade aperta o coração. Seguidamente.

Amizade de colégio nem sempre dura, mas nós não vamos permitir que isso seja regra. Sempre odiamos as regras da escola mesmo, não vai ser essa que vamos aprovar.

Cada uma seguiu para um lado. Eu na comunicação social, ela começou a faculdade de nutrição. Quando tive meu primeiro dia de aula na filosofia ela me acompanhou e agora eu estive por horas falando sobre o quão bizarro é o primeiro dia de aula. Ela estava nervosa, tenho certeza. Mas eu fiquei feliz por ter estado presente, mesmo não fisicamente, em mais essa etapa da vida dela.

Hoje nossa amizade faz 11 anos de vida. Pelo menos foi esse o dia que a gente decidiu que seria o nosso aniversário. Quem sabe não sai aquela festa que eu disse antes quando chegarmos nos quinze…

Adeus, Ensino Médio

11064778_886671458061710_3937272186564308250_n

 Quando troquei de escola pensava que não iria me adaptar. Pensava que iria repetir de ano e todos os dias eram dias de choro em casa pedindo pra voltar pra escola antiga. Afinal, tinha passado oito anos da minha vida com aquelas mesmas pessoas dentro de uma sala de aula, os professores não mudavam e eu só tinha que me preocupar com as simples provas que teria no final do mês. Mudar pra uma escola nova significa ter que fazer novos amigos, se adaptar com novas regras, novas aulas, aprender a lidar com novos professores, e eu simplesmente não queria nada disso.

 Os meses foram passando e eu fui conhecendo gente nova. Gente que me fez muito bem, que me ensinou muitas coisas e me permitiu ensinar muitas coisas também. Fiz amigas que estavam prontas para me ajudar em qualquer perrengue e que sempre riam das minhas idiotices. Criei laços com professores que sempre estiveram dispostos a me ajudar não apenas nos conteúdos, mas também nas lições que teria que levar para a vida.

 Logo no meu primeiro ano na escola nova eu aprendi a lidar comigo mesma. Perdi meus medos de falar com gente diferente do meu circulo de amizades, perdi a insegurança em conhecer de verdade pessoas novas e deixar com que essas pessoas me conhecessem também. Aprendi não só logaritmos ou reações endo e exo, aprendi a conviver com pessoas diferentes. Aprendi também que todos nós temos os nossos medos, e eu estive disposta nesses três anos de ensino médio para ouvir e ajudar cada pessoa que conquistou o seu lugar no meu coração a superar os seus medos e aprender com eles. No final das contas, eu aprendi ainda mais com cada uma dessas pessoas.

 Eu não sou mais aquela menina de 14 anos que entrou em uma escola sem conhecer ninguém e se escondendo, sem querer chamar atenção. Não, eu ainda não quero chamar atenção, mas hoje já não me escondo mais porque se tem uma coisa que eu aprendi é que todas as pessoas possuem uma história e eu quero poder ouvir o máximo possível delas. Hoje eu sou uma menina de 17 anos prestes a entrar na faculdade e que ainda não sabe nada da vida, mas que com certeza quer conhecer cada segredo dela.

 O mundo não é um lugar justo, e isso eu aprendi no ensino médio. Descobri que amar o próximo não são apenas palavras que ficamos falando em uma sala de aula sem agir. Amar o próximo é lutar diariamente pela dignidade da outra pessoa que não é concedida. Amar o próximo é respeitar as diferenças, afinal por dentro somos todos iguais. Amar o próximo é mais do que simplesmente falar, é agir.

 O Ensino Médio não é só festas, drogas, bebidas. Para muitos, nem é isso. Ensino Médio é aprender a cada dia o valor das nossas vidas e querer aproveitar cada segundo, porque o tempo não volta e tudo o que fica são memórias. O Ensino Médio serve para auto conhecimento, conhecimentos sobre o mundo e sobre a vida. Conhecimento para a vida. Conhecimentos trazidos pela vida. Ensino Médio é muito mais do que brigas fúteis, contagem de número de likes ou uma simples disputa sobre quem é mais bonit@.

 O meu Ensino Médio foi marcado por muito mais do que meros conhecimentos didáticos. Muito mais do que 50 minutos em cada aula. Ele foi marcado de frases, momentos, risadas, gritos e muita música. Foi marcado com aprendizados além do que o google pode explicar. Aprendizados que apenas uma outra pessoa pode nos proporcionar.

 E é isso o que me faz ficar feliz por esse tempo que estive no Padre Reus. Quando eu cheguei não queria ficar, mas agora eu não quero ter que dizer adeus. Apesar de saber que não vou perder os laços que criei, é doloroso pensar que não vou mais ter as minhas manhãs divididas com pessoas tão especiais em um lugar tão especial. Mesmo com os momentos ruins, tudo foi importante e eu não mudaria um dia se quer desses últimos três anos. Posso dizer claramente que sou quem sou hoje por conta de todas as pessoas que me rodearam nesses anos e eu sou muito grata por isso. Tenho orgulho da pessoa que o Padre Reus me tornou e torna os seus alunos.

 A saudade vai bater, o meu coração vai apertar e todos os momentos que eu vivi nessa escola vão voltar como flashes. E então eu vou pensar o quanto foi bom esse tempo, estar com aquelas pessoas e não vou querer que acabe. É difícil pensar que de uma hora para a outra as coisas simplesmente têm um fim. A gente se acostuma tanto com tudo isso que depois, não quer que acabe. Mas uma hora precisa acabar e nós precisamos começar coisas novas. A gratidão é o que fica por esses três anos.

Sigam Suas Vidas

01

Esse ano algumas pessoas que eu amo terão seus últimos dias de Ensino Médio.  Outras ainda terão um ou dois anos,  o que é, de certa, forma mais motivador. Ou não. Estive meio distante de algumas pessoas e peço desculpas. Eu apenas não tinha mais nada para acrescentar em suas vidas, então me calei.

  Passamos por momentos difíceis nesses 3 anos de Padre Reus. Afinal, quem não passa por esses momentos? Isso me fez pensar muito e me sentir mal algumas vezes. O tempo passou, crescemos e evoluímos. Tudo está tão bem e em um piscar de olhos parece que acaba. E você nem aproveitou. Queria ter passado mais tempo com vocês…  Vivemos em um tempo espaço que não nos permite voltar no tempo. Ouvi dizer esses dias que “relembrar é reviver”, de certa forma é verdade, tem dias que apenas a lembrança de uma tarde sentado na grama me deixa muito feliz. Eu sinto como se estivesse vivendo novamente aquele momento, o tempo passa.

  Um ano tem 12 meses. Um mês tem 30 dias. Um dia tem 24 horas. Uma hora tem 60 minutos. Um minuto tem 60 segundos. Tic Tac Tic Tac Tic Tac. Os segundos estão passando e o que você está fazendo com a sua vida? Está dando valor as pessoas? Ouvindo as pessoas? Amando as pessoas? A gente demora muito tempo pra aprender que a vida é muito mais que um diploma, muito mais que um emprego, muito mais que um carro ou dinheiro na carteira. A cada segundo pessoas morrem e pessoas vivem. Você está vivo, você está aqui e agora. Cada segundo de sua vida é muito importante.

  Eu gosto de sair de ônibus de noite para apreciar as cores noturnas e nossa, como é lindo. Parece que tudo tem mais vida, mais cor. O cheiro das árvores me dá tanto conforto. Sinto vontade de deitar e dormir na grama, sentindo a energia da natureza me engolir, me aperfeiçoar. Olho para os lados e vejo pessoas correndo pra lá e pra cá em busca de coisas tão superficiais, de ternos e maletas, de carros e aviões. Seguindo suas vidas sem olhar para o lado e ver o pequeno menino vendendo bala na sinaleira, sem paz, sem amor. Sozinho nessa floresta de concreto.

  O tempo está passando e você está aproveitando sua vida? Olhamos apenas para nós mesmos e esquecemos que existem milhares de pessoas esperando por sua ajuda. Deixo um conselho: Corra, grite, pule, dance, ande de bicicleta, caia de bicicleta, caia da árvore, abrace uma árvore, plante uma árvore,  plante flores, crie um jardim, crie um livro, crie um blog, crie uma vida diferente. Seja autossuficiente, não dependa de nada nem de ninguém, faça tudo o que você quiser por que acredite, o tempo está passando e ele não vai voltar.

  Sigam as suas vidas e aproveitem cada segundo enquanto estão vivendo juntos. Provavelmente terão novos amigos e nem se lembrarão uns dos outros. Não se lembrarão dos professores e com o tempo, nos veremos na rua e não nos reconheceremos. Isso é o que mais me assusta hoje em dia, somos tão substituíveis, frágeis. Sigam suas vidas.

  Gostaria de dizer que tudo o que eu senti enquanto estive com vocês está guardado no meu coração, tento não esquecer cada um. Quando eu esquecer, perdoem-me se eu não me lembrar das suas risadas, dos seus abraços, dos seus sorrisos.

  Apenas uma coisa eu peço. Sigam suas vidas, sigam seus sonhos, eles valem muito. Não deixem o tempo fazer-vos esquecer deles, não deixem ninguém desencorajá-los, vocês podem tudo. Não chorem ao se sentirem sozinhos, a solidão faz parte da vida e com o tempo a cor volta.

  Às vezes eu tenho sempre o mesmo sonho enquanto durmo. Entro em um ônibus em um dia ensolarado e vejo alguém conhecido, não sei bem quem é, mas essa pessoa é feliz e sorri para mim. Nesse momento meu coração se invade de um sentimento de conforto e amor. Espero algum dia encontrar vocês no ônibus ou na fila do supermercado. Vamos sorrir e conversar. Então vou me lembrar desse dia e pensar: “Ela/e seguiu sua vida, trilhou seu caminho e viveu.”

  Sigam suas vidas, apenas isso. Sigam pelas pessoas que não tem forçar para seguir, abracem mais, sorriam mais, ajudem uns aos outros. Sigam suas vidas em memória dos que pararam no caminho e não andaram mais. Sigam em memória dos que morrem. Sigam suas vidas livrando-se de toda a dor, lembrando que o que faz um lugar especial são as pessoas que nele vivem. Façam suas vidas ter um significado.

talles cunha (1)

Vai Ficar Tudo Bem

oo

Ei, não chora mais. Não vale a pena, tu sabe disso. Sim, eu sei que dói. Mas a dor já já vai passar. Os teus olhos não querem mais ficar ardendo por tantas lágrimas. Eu sei que é difícil acreditar que assim foi melhor. É extremamente difícil acreditar que o final foi bom. Nós não queremos que acabe.  A vida tem dessas.  Quando a gente pensa que finalmente vai se acomodar, tem alguma pedra no meio do caminho.

 Lembrar dos momentos juntos, das promessas feitas e os planos traçados. Isso tudo faz parte do estado que nos encontramos em determinados momentos. O nó na garganta vai aparecer de novo e o coração vai se apertar. Não chora, segura firme. Você já chorou demais por essa história. Tem tantas histórias esperando para serem vividas por ti.

 Você não vai esquecer de nada disso, todo mundo sabe. Se foi sincero, sempre vai ser complicado de superar. Talvez essa seja a palavra certa: superar. Afinal, ninguém deve querer esquecer do passado, e sim superar e partir para o que o futuro esta guardando. E você vai superar, você sabe.

 Você é especial. Se ele foi embora, foi para dar a chance de outros caras terem a mesma sorte que ele. E que sorte, hein? Ter você por inteiro, de corpo e alma. Você se entrega fácil se sente que pode dar certo. Mas você tem que entender que vai dar certo o tempo que durar. E deu certo, você sabe. Se continuaria dando certo eu não sei. Mas sei que enquanto deu, eu vi você nos seus melhores momentos. E eu agradeço por isso.

 Ver você desse jeito me matou por dias. Não aguentava mais ficar esperando pela tua próxima crise de risos. Enquanto você chorava, eu morria por dentro. A gente não merece ter que ver quem nós amamos desse jeito.

 Tudo o que sei é que tem alguém ai fora te procurando. Não sei se ele está em Porto Alegre ou no Japão. Só sei que existe alguém. Enquanto essa pessoa não chega eu vou estar aqui, secando as tuas lágrimas e te fazendo rir nos momentos mais inadequados. Vou segurar a tua mão e dizer que tudo vai ficar bem. Por mais que tu ache chato esse discurso de “vai ficar tudo bem”, eu sei que vai. E eu vou estar aqui pra te mostrar como eu tava certa.

Nostálgico

L9R4MMVFVJ

 As vezes nós paramos um minuto e lembramos de todos os momentos que passaram e que não podemos ter de volta. Nem as pessoas que estiveram nesses momentos voltam mais. Talvez voltem, mas não vai ser a mesma coisa. Os sorrisos não são mais pelos mesmos motivos; Algumas vezes, são apenas para evitar uma lágrima. Aquela lágrima nostálgica que vem como se estivesse naquela tarde com suas amigas olhando suas séries preferidas na TV, com a graça daquele momento cômico na sala de aula e com a sensação de que não volta mais. Uma lágrima de alegria. A alegria que não volta mais.

 Certas coisas na vida nós nunca vamos esquecer. Por mais que nos doa pensar em todas essas coisas que não voltam mais, são essas lembranças que vão ficar para sempre nos nossos corações, junto das pessoas que marcaram as nossas vidas de um jeito ou de outro. As melhores amigas que agora se falam apenas pelas redes sociais, aquele garoto que te abraçava forte sempre que te via, seus professores que não são mais os mesmos (ou nem tem mais professor na história)…

 Os filmes que te fazem chorar toda vez que você os assiste. Eles trazem lembranças de tudo: suas amigas, seu primeiro amor, primeiro beijo, suas desilusões, suas brincadeiras na infância, seus sonhos. Trazem lembranças de tudo aquilo que passou e não volta mais. Aquilo que você ainda sente falta e por isso não aguenta. Chora.

 Fotos, vídeos, bilhetes e os ingressos de cinema, tenho tudo isso guardado para sempre lembrar desses momentos. Ou será que eu ainda guardo eles com a esperança de um dia voltar no tempo e viver todos aqueles momentos de novo?

 A saudade de tempos que não voltam mais é a pior, na minha opinião. Afinal, eu nunca mais vou voltar nos corredores daquela escola ou vou rir das mesmas coisas que ri naquela idade. A saudade é o pior sentimento, causada pela vida que nos tirou de lugares/pessoas/momentos que nós não queríamos nos afastar, ou simplesmente não estávamos prontos para dizer adeus. Eu não estava. E ainda sinto falta de muitas coisas. Ah, se desse para voltar no tempo…